quarta-feira, 7 de março de 2007

Era uma segunda-feira...

... e lá estava eu, sozinho, frente a uma pia de louça suja, filosofando (e lavando a louça também, obviamente) . Eis que surge minha primeira obra lírica, o texto. Descubro nas letras muito mais que simples palavras descritivas: encontro um refúgio, um modo de expressar tudo aquilo que sinto – e vivo – sem precisar falar nada a ninguém.
Passa-se o tempo, e descubro que, além de escrever, eu posso ser capaz de musicar (e o violão não foi um investimento feito totalmente em vão)! Apanho no ar minha primeira composição musical: Contramão.
Após isso, uma pessoa, morando tão longe e tão perto (hóspede definitiva do meu coração), me dá o melhor puxão de orelha já recebido por mim: “Toma vergonha nessa tua cara e vai fazer um blog, sem-vergonha”, disse ela.
E é assim, resumindo bem uma longa história, que crio este espaço virtual, com o intuito de aqui publicar tudo aquilo que de melhor (ou menos pior) eu vier a escrever. Em síntese, inauguro este blog para soltar os verbos, advérbios, pronomes, antíteses, metonímias e tudo mais que a língua gauchesca me permitir proferir.

2 comentários:

A Fernanda disse...

Mas q bibi esse meu sobrinhooo!!!!



Isso q dá ser a melhor tia do mundo... =D

Eunice disse...

Muito bem... nada como umas tarfas domésticas para colocar a imaginação em prática... Isto é ensinamento oriental...